Implante Capilar

O melhor remédio para combater a calvície (alopecia androgenética) é a prevenção.
Algumas considerações são importantes antes de um implante capilar.
A primeira é de que o implante capilar não substitui o tratamento clínico para a calvície.
Caso não realizem o tratamento capilar os pacientes jovens que sofrem de calvície, dependendo da evolução clinica do distúrbio, precisarão de vários implantes de cabelo durante a vida.
A segunda é a de que para os pacientes em que a calvície está avançada serão necessários vários implantes de cabelo para restabelecer o volume e a densidade capilar de uma forma adequada.
Isto requer ter área doadora de cabelos com elasticidade compatível.
Apenas numa consulta médica criteriosa é possível analisar se a pessoa tem indicação ou não ao transplante capilar.
Será levada em conta a expectativa do cliente, a sua idade, a área a ser coberta, o melhor momento para a interveção, qual o desenho mais adequado da linha anterior, a direção, a angulação e curvatura do cabelo e o comprometimento da área doadora.
Em mulheres, o cirurgião necessitará da certeza de que todas as causas de alopecia (falta de cabelo) foram investigadas antes do implante de cabelo.
Nenhum transplante capilar produz mais fios, apenas os redistribui.
O implante de cabelo será indicado para os pacientes em que o tratamento capilar para a calvície não resultou efetivo e nos homens é aconselhável esperar até a idade dos trinta anos para realizá-lo.
Isto porque o padrão capilar do homem jovem é diferente do padrão capilar do adulto maduro.
Como os cabelos transplantados, se vingarem, são definitivos, no caso de usados para corrigir as "entradas" de um paciente jovem, ocasionariam uma aparência inadequada quando este atingisse os quarenta anos.
Dependendo de pesquisas que tragam resultados consistentes, no futuro as células tronco folículares poderão se tornar uma realidade  na recuperação cirúrgica da calvície.